Ser associado é ter inúmeros benefícios. Associe-se e se torne um médico referenciado pela AMP.

O Conselho Regional de Medicina do Paraná realizou na manhã deste domingo (13), no Pequeno Auditório da Universidade Positivo, em Curitiba, a sua tradicional solenidade alusiva ao Dia do Médico, quando homenageou 142 profissionais com histórico exemplar à atividade. Dois deles receberam a Medalha de Lucas – Tributo ao Mérito Médico, em reconhecimento ao trabalho humanitário e social, e os demais, o Diploma de Mérito Ético-Profissional, honraria conferida aos que alcançam 50 anos de formados sem qualquer sanção disciplinar. A Associação Médica do Paraná foi representada pelo secretário-geral, Dr. João Carlos Baracho, na cerimônia, que contou com a presença do secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

"Uma grande honra participar deste momento representando o governo do estado. São médicos que dedicaram e dedicam a sua vida para cuidar de pessoas. Vejo colegas, professores e profissionais valorosos, que certamente deram a sua significativa contribuição para a saúde dos paranaenses", afirmou Beto Preto.

Instituída em 1996 para reverenciar profissionais que se destacam pelo trabalho médico-social, a Medalha de Lucas tinha sido conferida até agora a somente 14 personalidades médicas, dentre elas a Dra. Zilda Arns Neumann, fundadora da Pastoral da Criança, e o padre e pediatra José Raul Matte, que por meio século dedicou-se ao atendimento de ribeirinhos da Amazônia. Este ano, foram homenageados a gineco-obstetra curitibana Helen Anne Butler Muralha, com 65 anos de Medicina, centenas de partos e expressivo trabalho cultural e humanitário, e o oftalmologista londrinense Nobuaqui Hasegawa, criador de programas que possibilitaram milhares de atendimentos gratuitos, de consultas e exames e cirurgias.

"Até nem sei porque estou sendo homenageado. Faço aquilo que é o meu destino. E levar um atendimento humanitário e social para o paciente é a nossa função também", disse Hasegawa. Ele destacou o trabalho efetivo juntamente com o estado para zerar as filas de atendimento. "Temos trabalhado juntamente com o Beto Preto e feito mutirões. O secretário sabe das dificuldades, mas é o nosso papel, a nossa missão. E assim temos feito em conjunto. De nada vale se não tivermos o olhar efetivo e humanista. Por isso, apenas agradeço a homenagem".

Diploma

O Diploma de Mérito Ético-Profissional foi entregue pela primeira vez em 1986, alcançando então 10 renomados expoentes da Medicina paranaense. Desde então, são selecionados os médicos que completam 50 anos de prática médica sob os rigores hipocráticos. Neste ano, a maior parte dos homenageados formou-se em 1969 pela Universidade Federal do Paraná e Católica do Paraná. O grupo é integrado por 16 mulheres, dentre elas a pediatra Rosária Maria Olaio Riscalli, de Campo Mourão e que será diplomada juntamente com o marido, o também pediatra Mário Riscalli Júnior, e a anestesiologista Mara Ovande do Amaral Egyidio de Carvalho, casada com o pediatra Nelson Egydio de Carvalho, distinguido em 2018 com a honraria.

A diplomação alcança 43 médicos residentes em Curitiba, 14 de Londrina, nove de Maringá, oito de Ponta Grossa, sete de Apucarana, cinco de Campo Mourão, quatro de Cascavel, três de Foz do Iguaçu e os demais de outras cidades. Muitos deles são pioneiros nas municipalidades onde se instalaram e contribuíram de forma marcante para o desenvolvimento e melhoria dos indicadores sociais e de saúde. Dentre eles estão Delcino Tavares da Silva, de Joaquim Távora e que foi secretário Estadual de Saúde; Ruy Pedruzzi, de Paranavaí, ex-presidente do Conselho Estadual de Saúde, que tem três irmãos, duas filhas e um neto médicos; e Ivânio Fumegali Guerra, de Pato Branco, ex-deputado federal e irmão do médico, ex-deputado e ministro da Saúde Alceni Guerra.
 



 
Com informações do CRM-PR e Sesa.
 

NEXT